Política

PETROBRÁS – Entenda os impactos da queda do preço do petróleo

Preço do petróleo acumula perdas de 60% desde junho de 2014.Países da Opep estariam ‘em guerra’ contra óleo de xisto de EUA e Canadá.

A queda do preço do petróleo no mercado internacional também diminui a rentabilidade dos projetos de exploração no pré-sal, que foram planejados levando em conta um preço mínimo do barril entre US$ 45 e US$ 52 para a produção poder ser considerada economicamente viavel.A Petrobras afirmou em comunicado, porém, que está aumentando sua capacidade de produção no pré-sal de “modo economicamente viável” e que o chamado “break even” (ponto em que os ganhos se equivalem aos gastos) foi calculado levando em consideração uma vazão de poços entre 15 e 25 mil barris por dia, abaixo do patamar atual de 20 mil barris por dia.

Por outro lado, a petroleira brasileira tem conseguido reverter parte da perda acumulada no ano passado da defasagem entre os preços dos combustíveis no mercado internacional e os cobrados no mercado interno.

Atualmente, o preço nacional da gasolina já está quase 70% acima do preço internacional do combustível importado pela companhia, segundo levantamento do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE).A queda da cotação internacional deve provocar também uma diminuição na arrecadação dos royalties sobre a produção neste ano, afetando a receita das prefeituras governos dos  municípios e stados produtodes.

QUESTÕES

1. Há estimativas no mercado que apontam que o barril de petróleo chegue a US$10.00 antes de estabilizar em US$20.00, sendo que atualmente está em US$28.00.

2. Há excesso de oferta, os EUA diminuem o consumo, CHINA desacelera, IRÃ aumenta produção em 500 mil barris.

3. O consumo cai no Brasil por conta da recessão, o que diminui o caixa da Petrobrás.

4. A variação do câmbio é negativa, ou seja, o real tem se desvalorizado em relação ao dólar, e prejudica a relação receita/dívida.

5. A dívida da empresa foi estimada em R$500 bilhões no ano passado, valor que atualizado, por conta do câmbio, pode atingir uns R$700 bilhões.

6. A matriz energética está mudando rapidamente e o petróleo está perdendo sua posição central.

7. O preço do barril cai de tal modo que em alguns locais do mundo a extração tornou-se deficitária.

CONCLUSÃO: A. Talvez o mercado não aceite a aquisição das sobras (empresas, refinarias) da Petrobrás. B. A dívida da Petrobrás é muito maior que seu caixa e seu patrimônio. C. Estes fatos em conjunto podem levar à quebra da Petrobrás.

Curtam a página: https://www.facebook.com/voxbrasilis

por PAULO DEMCHUK
‪#‎paulodemchuk‬
‪#‎voxbrasilis‬

 

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. É um campo requerido *